Idosos Republicanos: atuando em defesa dos direitos dos idosos em 2021

No decorrer do ano, o Idosos Republicanos avançou no diálogo sobre temas estratégicos e promoveu campanhas educativas com o objetivo de impulsionar, fomentar e mobilizar o poder público na construção de políticas públicas que promovam o reconhecimento, a valorização e o respeito aos nossos idosos.

No mês Junho Violeta, o movimento lançou a campanha “O silêncio é a maior violência contra a pessoa idosa”. Durante as ações realizadas em várias regiões do Brasil, os republicanos foram às ruas com faixas educativas e panfletos informativos contendo os principais tipos de violência praticada contra a pessoa idosa.

O movimento também declarou apoio à campanha de enfrentamento à violência contra o idoso, lançada pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) com o tema “Fortalecendo as redes de proteção de direitos”.

No mês de outubro, o Idosos Republicanos lançou a campanha “Envelhecer não significa adoecer – Velhice não é doença que foi realizada em repúdio e para alertar a sociedade sobre a alteração aprovada em 2019, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que classifica velhice como doença por meio da Classificação Estatística Internacional – CID 11, sob o código MG2A, prevista para entrar em vigor em Janeiro de 2022.

Durante o evento realizado na sede do Republicanos, em Brasília, como secretário nacional do Idosos Republicanos manifestei minha indignação contra a proposta, e o presidente nacional do partido, deputado federal Marcos Pereira, registrou seu apoio a nossa campanha.

Em dezembro, para nossa alegria, após manifestação de várias organizações e movimentos, a OMS revisou a classificação. Portanto, a velhice passará a constar como possível fator associado à causa de uma morte e não mais como doença, como preceituava a alteração aprovada em 2019.

Ademais, o movimento intensificou as publicações de matérias em sites e redes sociais sobre diversos temas relevantes ligados a pessoa idosa, promoveu diversas lives elucidativas incentivando o cuidado e a prevenção do idoso, realizamos ato de filiação e ampliamos a representatividade do movimento, empossando novas executivas, como a do Distrito Federal, a de São Paulo, e diversas executivas municipais no Rio Grande do Sul e em Goiás.

Para nós do movimento setorial, as ações de enfrentamento a violência e em defesa dos direitos dos idosos devem ser permanentes. Por isso, vamos continuar lutando para que estes cidadãos brasileiros sejam valorizados, respeitados e vivam com dignidade, corroborando para que tenham um envelhecimento ativo, inclusivo e de qualidade.

Mensagem do secretário nacional do Idosos Republicanos, deputado federal Ossesio Silva