Deputado Ossesio destaca relatório da ONU

A crise econômica no Brasil atinge principalmente os negros. É o que revela um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o tema, comentado pelo deputado Ossesio Silva na Reunião Plenária desta segunda (28). O documento foi elaborado a partir de visitas a cidades da Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo.

“Seria até normal pensar que todos os brasileiros estivessem passando por essa turbulência no mesmo patamar de dificuldade, mas não é o que ocorre. Como se não bastassem as dificuldades causadas pela falta de políticas afirmativas, pelo racismo e intolerância inerentes à nossa sociedade, a crise econômica afeta mais a população negra”, observou Silva. O parlamentar comentou que o relatório, apresentado na semana passada, faz elogios às políticas de igualdade adotadas pelo Brasil, mas critica a falta de representatividade de negros em posições de liderança em organizações públicas e privadas e destaca a diferença nas estatísticas de expectativa de vida e de renda, bem como de representação política.“Discordo apenas quando afirma que o Brasil não é racista. O racismo no País é velado. As pessoas não assumem porque é crime”, frisou.

O parlamentar também repercutiu a reportagem de um jornal local apontando casos de racismo contra intercambistas africanos na Universidade Federal de Pernambuco. “Eles estão sendo discriminados, julgados e rejeitados por estudantes brancos, o que é mostrado no vídeo ‘Retrato sem retoques’. Os colegas não se aproximam porque acham que eles não são inteligentes, ou dizem que tem medo de pegar doenças. Em um ambiente que deveria dar exemplo, o racismo está se institucionalizando”, criticou.

Em apartes, os líderes do Governo e da Oposição manifestaram apoio ao pronunciamento. “O Brasil não se diz racista, mas tem mil maneiras de estabelecer a desigualdade entre as pessoas, principalmente pela cor”, pontuou Waldemar Borges(PSB). “Parabenizo pelo pronunciamento, especialmente porque vem de alguém que viveu muitos preconceitos, mas acreditou nos seus sonhos e hoje levanta essa bandeira”, disse Sílvio Costa Filho (PTB).

fonte: Alepe com informações da Ascom