O Grito Divino

O Grito Divino

Lava o teu coração da malícia, ó Jerusalém, para que sejas salva; até quando permanecerão no meio de ti os pensamentos da tua iniquidade? Jeremias 4.14

Não foi porque Jerusalém se encontrava fisicamente devastada que Jesus chorou quando lá entrou. Chorou porque sua condição espiritual e, consequentemente, moral, estava como a cidade do Rio de Janeiro: na lama.

Ao mandar Jerusalém lavar seu coração da malícia, para ser salva, o Senhor apontou por que a maioria dos “cristãos” tem sido débil, doente e estado à beira do túmulo. É muito duro falar assim, mas é o grito Divino para despertar aquele que, de uma forma ou de outra, abriu a porta da alma e permitiu a entrada da malícia. E o pior: mesmo vivenciando os limites da miséria espiritual, ainda não se dá conta do alerta do Espírito Santo por intermédio do profeta Jeremias.

Fazer o quê?… Se não ouvem Aquele que convence do pecado, ouvirão Seus servos?

Ah SENHOR, porventura não atentam os Teus olhos para a verdade? Feriste-os, e não lhes doeu; consumiste-os, e não quiseram receber a correção; endureceram as suas faces mais do que uma rocha; não quiseram voltar. Jeremias 5.3

Fonte: Bispo Macedo

Deixe seu comentário