Deputado Ossesio participa de Audiência Pública para  discutir racismo e a construção do poder do povo Negro

Deputado Ossesio participa de Audiência Pública para discutir racismo e a construção do poder do povo Negro

Na manhã desta segunda (20), o deputado Ossesio Silva (PRB), esteve presente na Audiência Pública promovida pela Comissão de Cidadania da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Com o tema Enfrentamento ao Racismo e Construção do Poder do Povo Negro, o encontro foi uma ação do colegiado para marcar o Dia da Consciência Negra. A data homenageia Zumbi dos Palmares, morto em 20 de novembro de 1695.

Durante o evento, o deputado lembrou que a população negra é maioria no país, porém ocupam poucos espaços nos poderes “No Congresso Nacional, dos 594 parlamentares, menos de 10% são negros. Em Pernambuco, na Assembleia Legislativa, foram eleitos apenas três deputados estaduais negros. Esse número representa apenas 6,1% do total, de acordo com TRE-PE” explicou.

A questão religiosa também foi discutida durante o evento, integrante da Igreja Universal há 37 anos, o deputado Bispo Ossesio Silva pediu a união do povo negro. “Não podemos nos dividir por critérios religiosos. Vamos nos apoiar. Se não for assim, não chegaremos a lugar nenhum”, afirmou.

Cartazes expuseram estatísticas de crimes em que os negros são as principais vítimas, como homicídios, nos quais 70% dos casos são cometidos contra jovens dessa raça. A violência contra o sexo feminino também foi destacada nos cartazes: “A cada seis mulheres assassinadas no Recife, cinco são negras”. “O grau de opressão em que vivemos é alto. Nunca vemos redução das estatísticas”, observou Mônica Oliveira, da Rede de Mulheres Negras de Pernambuco.

O Promotor de Justiça do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Westei Conde também lamentou as estatísticas e mencionou a importância de a sociedade enfrentar o racismo institucional. A ialorixá e professora da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) Denise D’ogum Botelho chamou atenção para a necessidade de reconhecimento do povo negro no Brasil. “Zumbi não tem o mesmo tratamento de outros heróis nacionais e um geógrafo como Milton Santos, enaltecido  não é valorizado nem no curso de Geografia”, elencou. O presidente da Comissão de Cidadania, deputado Edilson Silva (PSOL), criticou algumas ações do Governo Estadual e comentou o fato de os novos integrantes do Conselho Estadual de Direitos Humanos não terem sido empossados, apesar de eleitos em julho:

“Precisamos garantir o conselho, que é um dos mais atuantes do Estado e luta contra a política de encarceramento em massa”.
Fonte: Alepe com informações da Ascom Dep. Ossesio Silva.

 

 

Deixe seu comentário