FRUTOS DE UM DIÁLOGO

FRUTOS DE UM DIÁLOGO

Muitas vezes deixamos a prática de diálogo constante com Deus de lado e nos limitamos apenas à oração e leitura da Bíblia.

Devemos nos atentar, pois uma das características que difere o religioso do filho de Deus é a intimidade com Ele e para tal o diálogo é fundamental.

Dialogar é cruzar mundos, penetrar na intimidade um do outro, unir experiências, fazer uma junção entre as situações que estamos vivendo e os exemplos Bíblicos.

Quando vivemos na prática do diálogo com Deus, ao passar por uma situação que produz conflito interior, Ele nos faz lembrar de um exemplo citado em Sua Palavra, como uma troca de experiência, e aquela Palavra específica gera a força e o entendimento que precisamos para vencer aquela determinada situação.

É assim que deixamos de ter uma vida paralela à de Deus e fazemos nosso mundo cruzar com o d’Ele, e saboreamos o prazer de viver nesta vida como filho do Deus Eterno.

Para dialogar também é preciso saber ouvir, perceber o que Ele tem a dizer, não o que queremos escutar.

Muitas vezes conversamos com Deus, mas não dialogamos com Ele, pois não estamos dispostos a ouvir o que Ele quer nos dizer. Outras vezes acabamos por tentar maquiar nossa realidade querendo transmitir, àquele que sabe de todas as coisas, o que aos nossos olhos O agradaria, quando deveríamos por meio da sinceridade dizer o que realmente se passa no nosso mundo interior.

Temos a tendência de ocultar nossos dramas, camuflar nossas debilidades de tal forma que não conseguimos nos enxergar e entregar aos cuidados d’Ele quem de fato nós somos, para que Ele possa nos moldar livremente.

Se queremos analisar sinceramente o nível de nossa intimidade com Deus, basta olharmos para nossa história, se nossos caminhos se cruzam. Compartilhei com Ele minhas dores? Minha história está entrelaçada com a de Deus? Ou elas são paralelas? Talvez você pense ser impossível entrelaçar sua história de vida com a de Deus, mas saiba que Palavra de Deus é atemporal, ela faz parte de qualquer época ou tempo. Cabe a nós construir com Ele uma história de intimidade por meio de um diálogo em seu real significado.

Existem perguntas que sempre devem estar rondando nossos pensamentos:

  • O que eu posso fazer para agradar ainda mais a Deus?
  • Existe algum conceito ou mania que possa estar me impedindo de ser melhor?
  • Alguma preocupação tem roubado minha confiança em Deus?
  • Existe algo me motivando que vai contra o caráter d’Ele?
  • Reservo tempo para ficar em silêncio e naturalmente ouvir Sua voz?

O hábito de dialogar com Deus com interesse de entrelaçar nossos mundos faz com que nosso amor por Ele seja irrigado por meio da intimidade com o Senhor, produzindo uma mente saudável, que mantém a confiança em alta, onde a fé encontra espaço para produzir vida e trazer resultados positivos.

Gislene Xavier.

Fonte: Obreiros Universal

Deixe seu comentário